PARA REFLEXÃO

"Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida"

"Não existe jardim completo e perfeito. E sim, a vontade de tornarmos melhores jardineiros" Raul Cânovas

"A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda." Confúcio

"Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo." Mahatma Gandhi

Visitantes, minhas saudações.

Visitantes,  minhas saudações.
O bordado é algo que está no meu sangue. O amor pelo bordado nos leva a buscar cada vez mais notícias, fotos, matérias, reportagens sobre o assunto e postar no Blog, compartilhando com todos que nos visitam. Recebo reportagens, fotos, notícias de amigas de toda parte do mundo. Muitas vem sem identificação dos sites retirados e quando publico sempre informo que não são de minha autoria. Uma das coisas que mais respeito são os direitos autorais das pessoas. Por isso solicito a quem me visitar, se encontrar alguma matéria ou foto que não aceite, que esteje publicada no meu Blog, por favor me avise para que seja retirada com urgência. Obrigada.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

ELEGÂNCIA DO BORDADO CHINÊS E A ALEGRIA DO BORDADO UCRANIANO

BORDADO CHINÊS

Como uma das mais antigas artes manuais da China, o bordado tem contribuído muito para o progresso e aperfeiçoamento da civilização material da China. Documentos históricos registram o uso do bordado na China já em 2225 a.C. Descobertas arqueológicas, entretanto, situam os inícios do bordado em algum ponto durante a dinastia Shang (1766 a.C. a 1122 a.C.)
       Originalmente usado para denotar a classe social de alguém, o bordado mais tarde veio a ter um valor puramente ornamental e desenvolveu-se em uma forma de arte preferida pelas pessoas comuns. À medida em que o bordado se desenvolvia, as suas características artísticas se multiplicavam. Descobertas arqueológicas revelam que enquanto o bordado permanecia grosseiramente simples durante a dinastia Chou, tornava-se cada vez mais sofisticado durante o Período dos Estados Belicosos (475 - 221 a.C.) e atingiu o ápice estético na dinastia Han (206 a.C. - 221 d.C.).

Padrões bordados aumentam a pompa da roupa.

       A prosperidade econômica da dinastia Han favorecia o aparecimento de numerosas indústrias caseiras, uma das quais - a indústria de tecelagem de seda - era fundamental para o bordado. Além disso, à medida que aumentava a demanda de pessoas ricas e privilegiadas, também aumentava a demanda pelo bordado. Com um forte suprimento de matéria-prima e uma robusta demanda pelo mercado, o bordado prosperava.
       Na dinastia Han, o bordado era utilizado para outras finalidades além de decorar roupas. Numerosas aplicações especializadas para bordado foram imaginadas e enormes avanços foram feitos nas técnicas do bordado. Trabalhos da dinastia Han são peças elegantemente estilizadas de grande complexidade e variedade. O seu sucesso estava na excelente base para o desenvolvimento do bordado durante os próximos dois milênios.
       Desde então, o desenvolvimento do bordado continuou, e a tendência rumo à diversidade funcional intensificou. A chancela do bordado nos séculos seguintes foi a introdução de temas religiosos. O budismo foi introduzido na China, proveniente da Índia nos setecentos anos seguintes. Para mostrar a sua sinceridade e respeito, os budistas chineses escolheram o bordado, que era símbolo de honra e diligência, como seu meio favorito para retratar as imagens budistas. Grandes no tamanho e no alcance, as obras colossais do "bordado budista" tiveram grande procura durante a dinastia Tang (618 - 907 d.C.). Atualmente, museus na Inglaterra e no Japão ainda têm algumas obras primas do bordado budista da dinastia Tang. As peças foram trabalhadas com a mais rigorosa atenção aos detalhes e empregam uma inspiradora variedade de cores. O bordado budista é assim considerado um dos sucessos distintos do bordado clássico. Uma outra realizacão da dinastia Tang foi o desenvolvimento de novos pontos de bordado. Antes da dinastia Tang, o ponto em cadeia era a única forma comumente usado no bordado. Então, na dinastia Tang, o ponto de cetim foi inventado e logo substituiu o ponto em cadeia. Desde então, o ponto de cetim é popular entre as bordadeiras porque as torna livres para usar estilos de pontos diferentes e criar novos padrões de arte. A inovação técnica trouxe uma era de inédito desenvolvimento para o bordado.

Pontos complexos e densos dão vida ao pássaro e à
flor nesse trabalho elegante.

       Os artesãos da dinastia Sung (960 - 1280) conseguiram criar bordados puramente estéticos em qualidade e quantidade que superam qualquer coisa antes vista e certamente nunca vista então. O tremendo sucesso das bordadeiras Sung deveu-se a três fenômenos. Primeiro, o ponto de cetim era permutável e vários outros pontos derivaram-se dele. Segundo, instrumentos e materiais usados no bordado foram muito melhorados durante a dinastia Sung. Por exemplo, os artesãos Sung utilizavam delicadas agulhas de aço e linha fina como cabelo. Terceiro, a arte do bordado se misturava completamente com a arte da pintura. As bordadeiras na realidade bordavam duplicatas de pinturas de pintores famosos. As notáveis obras primas dos bordado Sung compreendiam centenas de milhares de pontos complexos em um vasto espectro de cores agradáveis. As imagens resultantes são impressionantemente vivas.
       As artes manuais, especialmente o bordado, continuaram a se desenvolver durante a subseqüente dinastia Ming (1368 - 1644). O bordado Ming tem três principais características distintas. Primeiro, o bordado era muito popular e bastante usado por pessoas de diferentes classes sociais para uma ampla variedade de finalidades. Segundo, a qualidade do bordado para usos práticos melhorou muito, à medida que os materiais do bordado eram aperfeiçoados e sua técnicas desenvolvidas. Embora levando adiante a tradição de excelência estabelecida na dinastia Sung, o bordado na dinastia Ming viu muitas inovações. Bordadeiras profissionais e até mesmo famílias inteiras ganharam fama por suas habilidades no bordado. Por exemplo, o conhecido "bordado do jardim de orvalho perfumado" foi feito pela família Ku de Shangai. A família Ku é conhecida por usar o bordado para "pintar" gravuras. O seu estilo de "pintura de bordado" foi popular até o fim da dinastia Ming e início da dinastia Ching.
       O terceiro principal desenvolvimento no bordado na dinastia Ming foi a introdução de materiais além da seda. Por exemplo, o bordado translúcido era feito com gaze de seda; o bordado de cabelo usava cabelo humano como fio; o bordado de papel usava fio de papel; o bordado de flanela usava cola e então se bordava padrões de flanela sobre o pano; o bordado de rendas era feito ao longo dos pequenos buracos de renda; e o bordado em ouro usava fios de ouro puro. Essas inovações aumentaram muito o alcance artístico do bordado.

As pessoas acreditam que esta peça redonda de bordado
com pontos complexos, elaborados e coloridos,
tradicionalmente traz sorte e riqueza.

       O bordado na dinastia Ching (1644 - 1911) manteve a força viva conseguida durante a dinastia Ming. Florescendo através de mais de 260 anos da dinastia Ching, o bordado passou por duas mudanças notáveis durante este período. Primeiro, tornou-se mais regional em estilo, com o bordado de Kiangsu, Kwangtung, Szechwan, Hunan, Pequim e Shantung gozando de especial aceitação naquela época. Cada um destes estilos locais de bordados procurou se afirmar à parte dos outros através de inovação técnica e temática. Segundo, algumas bordadeiras do fim da dinastia Ching começaram a trabalhar com o bordado japonês, enquanto outras começaram a trabalhar dentro de uma estrutura fornecida pela pintura ocidental. a anterior era representada pelo "bordado de fina arte" desenvolvida por Shen Show, e a outra pelo "bordado feito por caso", desenvolvido por Yang Show-yu, da província de Kiangsu. O novo sangue introduzido por estas duas bordadeiras infundiu uma nova vitalidade no tradicional bordado chinês.
       Apesar das numerosas transformações do século XX, e arte do bordado - que incorpora totalmente o mérito da tradicional cultura chinesa - vive na República da China em Taiwan. O bordado combina a essência da pintura e da caligrafia e apresenta a tradicional cultura chinesa através dos fios coloridos da bordadeira habilidosa. Na ROC em Taiwan, muitas bordadeiras talentosas têm bordado no silêncio. Seus esforços meticulosos para criar lindos bordados significam a preservação, continuidade e intensificação das tradicionais artes chinesas.
Fonte: Escritório de Taipei

BORDADO UCRANIANO


"rushnyky" toalhas rituais."rushnyky" toalhas rituais.

Para os ucranianos, em primeiro lugar vem o caráter religioso desta peça, que desde o tempo do paganismo até os dias de hoje, é utilizada em vários rituais, desde o cumprimento em sua casa, até as recepções oficiais, os convidados são recebidos com o pão e sal, que sempre devem estar em cima de um "ruchnek".
Os ícones, em procissões religiosas, são sempre envoltos em um "ruchnek". A noiva, quando aceita a proposta de casamento, envia um"ruchnek" para o noivo, que é utilizado pelo padre na cerimônia de casamento para amarrar as mãos dos noivos.
Estes são apenas alguns exemplos, pois também são utilizados decorativamente em portas, janelas, em casas e igrejas como símbolo de proteção.
Os bordados dos"ruchnekê",variam de acordo com a região, bem como os tamanhos, que podem ser pequenos para serem utilizados pelos padres para a limpeza das taças de sacramentos, até grandes o suficiente para ornamentar uma casa. Sem dúvida o "ruchnek" representa simbolicamente a pureza e a proteção contra os infortúnios.
A arte de bordar chegou a Europa, vinda da Ásia Central a começar pela Ucrânia, via "caminho da seda" e muito antes do início da era cristã, os povos que habitavam a Ucrânia atual, já usavam os bordados que foram evoluindo até as formas atuais, que datam do séc. VIII D.C..

Existem três diferentes tipos de aplicação de bordado:

- Religioso: vestimentas de sacerdotes e de uso nas igrejas
- Ritos folclóricos: "rushnyky" ( toalhas rituais )
- Trajes: camisas, blusas, lenços, etc.

São três, os principais estilos dos bordados ucranianos, que divergem nos motivos e cores:

1- Norte da Ucrânia: onde as figuras geométricas são preservadas a séculos.
2- Ucrânia central, leste e sul: onde predominam as figuras de plantas e flores.
3- Ucrânia ocidental: onde há um processo de transição de figuras geométricas e motivos de flores.
  
Para os ucranianos, em primeiro lugar vem o caráter religioso desta peça, que desde o tempo do paganismo até os dias de hoje, é utilizada em vários rituais, desde o cumprimento em sua casa, até as recepções oficiais, os convidados são recebidos com o pão e sal, que sempre devem estar em cima de um "ruchnek".

Os ícones, em procissões religiosas, são sempre envoltos em um "ruchnek". A noiva, quando aceita a proposta de casamento, envia um"ruchnek" para o noivo, que é utilizado pelo padre na cerimônia de casamento para amarrar as mãos dos noivos.

Estes são apenas alguns exemplos, pois também são utilizados decorativamente em portas, janelas, em casas e igrejas como símbolo de proteção.

Os bordados dos"ruchnekê",variam de acordo com a região, bem como os tamanhos, que podem ser pequenos para serem utilizados pelos padres para a limpeza das taças de sacramentos, até grandes o suficiente para ornamentar uma casa. Sem dúvida o "ruchnek" representa simbolicamente a pureza e a proteção contra os infortúnios.

A arte de bordar chegou a Europa, vinda da Ásia Central a começar pela Ucrânia, via "caminho da seda" e muito antes do início da era cristã, os povos que habitavam a Ucrânia atual, já usavam os bordados que foram evoluindo até as formas atuais, que datam do séc. VIII D.C..

Existem três diferentes tipos de aplicação de bordado:

- Religioso: vestimentas de sacerdotes e de uso nas igrejas
- Ritos folclóricos: "rushnyky" ( toalhas rituais )
- Trajes: camisas, blusas, lenços, etc.

São três, os principais estilos dos bordados ucranianos, que divergem nos motivos e cores:

1- Norte da Ucrânia: onde as figuras geométricas são preservadas a séculos.
2- Ucrânia central, leste e sul: onde predominam as figuras de plantas e flores.
3- Ucrânia ocidental: onde há um processo de transição de figuras geométricas e motivos de flores.


FOTOS DOS SITES:























Um comentário:

  1. QUE BELLEZA DE BORDADOS!!!!!!!!!!!!!
    SON GENIALES,
    QUIEN REALIZA ESTOS BORDADOS TIENEN QUE TENER UNAS MANOS DE SEDA.
    MIS FELICITACIONES A TODAS LAS BORDADORAS!!!!!
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir

Prazer tê-lo como visitante.
Seja bem vindo, deixe seu comentário, envie perguntas e tire suas dúvidas. Abraços.
Algecira Castro

Meus Trabalhos