PARA REFLEXÃO

"Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida"

"Não existe jardim completo e perfeito. E sim, a vontade de tornarmos melhores jardineiros" Raul Cânovas

"A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda." Confúcio

"Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo." Mahatma Gandhi

Visitantes, minhas saudações.

Visitantes,  minhas saudações.
O bordado é algo que está no meu sangue. O amor pelo bordado nos leva a buscar cada vez mais notícias, fotos, matérias, reportagens sobre o assunto e postar no Blog, compartilhando com todos que nos visitam. Recebo reportagens, fotos, notícias de amigas de toda parte do mundo. Muitas vem sem identificação dos sites retirados e quando publico sempre informo que não são de minha autoria. Uma das coisas que mais respeito são os direitos autorais das pessoas. Por isso solicito a quem me visitar, se encontrar alguma matéria ou foto que não aceite, que esteje publicada no meu Blog, por favor me avise para que seja retirada com urgência. Obrigada.

Renda Renascença

Bordar é ornamentar. É transformar um tecido com fios, cores e desenhos, buscando um resultado que agregue valor à ele. A Renda Renascença teve origem em Veneza, na Itália, por volta do século XVI, mas foi difundida pelos franceses, que adornavam o vestuário dos freqüentadores da corte com esse trabalho. Veio para o Brasil por intermédio das freiras e difundiu-se no Nordeste, especialmente em Pernambuco. Contam que as freiras de clausura de Olinda foram às disseminadoras da renascença no Brasil. Como não mantinham contato com pessoas da comunidade, a técnica foi passada para serviçais do convento. Assim aconteceu com Dona Lála, respeitada artesã pernambucana, que teria aprendido com as freiras e depois ensinado a muitas outras mulheres, entre elas uma aprendiz paraibana que trouxe a técnica para a Paraíba por volta de 1950 para a sua cidade natal, Monteiro, onde hoje já surgiram associações que têm realizado trabalhos tão bons que estão sendo reconhecidos e premiados pela qualidade e originalidade.
A técnica é executada numa almofada, com agulha, linha e fitilho, que é uma fita estreita que dá sustentação aos pontos. Os entrelaçados são muito delicados e as tramas concêntricas são características marcantes dessa técnica. Muitas pessoas confundem a renascença com a renda irlandesa ou inglesa, mas são apenas técnicas semelhantes, pois a renda irlandesa usa o lacê no lugar do fitilho.

Meus Trabalhos